Baixa na programação da Flip

Captura de Tela 2017-07-13 às 09.04.04A arqueóloga Niéde Guidon cancelou sua participação na Festa Literária Internacional de Paraty, por razões de saúde. A mesa Na contracorrente, da qual ela participaria, terá apenas Pilar del Río, jornalista e presidente da Fundação José Saramago. Os ingressos para a Mesa 9, no dia 28 de julho, às 17h15, continuam válidos. Quem não quiser comparecer devido à alteração na mesa deverá solicitar o reembolso até o dia 27 de julho. Para compras efetuadas em pontos de venda, basta dirigir-se ao mesmo local onde a compra foi efetuada. No caso de compras realizadas pela internet, basta entrar em contato com a Central de Relacionamento da Tickets For Fun através do telefone 4003-5588 (abrangência nacional), de segunda à sexta-feira, das 11h às 17h, ou pelo e-mail sac@ticketsforfun.com.br, com o título REEMBOLSO. Não serão acatadas solicitações realizadas no dia ou após a realização do evento.

Anúncios

Peça inspirada em Diderot tem nova montagem em cartaz no Rio

ziembinnski foto flávia fafiãesEscrita por Ronaldo Lima Lins há 28 anos a pedido do ator e mímico Luís de Lima, que nunca chegou a encená-la, Jacques e a revolução, ou Como o criado aprendeu as lições de Diderot tem nova montagem da Todo o Mundo Cia de Teatro, dirigida por Theotonio de Paiva, e pode ser conferida neste domingo e no dia 30 de julho, às 19h30, no Teatro Ziembinski (Rua Heitor Beltrão, s/nº – Tijuca – em frente ao metrô São Francisco Xavier – Rio de Janeiro). Professor Emérito da Faculdade de Literatura da UFRJ, Lins escreveu em 1979 uma tese de doutorado referendada pelo próprio objeto de estudo: O teatro de Nelson Rodrigues: uma realidade em agonia. Jacques e a revolução é seu único texto teatral, uma inspirada comédia dramática que flerta com os dias de hoje, marcados por propinas, apropriação indébita de capital público e pouco apreço pelo cidadão. Os atores Abílio Ramos, Ana Luiza Accioly, Katia Iunes e Luiz Washington interpretam 18 personagens. Ingressos: R$ 40 (inteira), R$ 20 (meia) e R$ 15 (lista amiga).

Foto: Divulgação/ Flávia Fafiães

 

Três perguntas para Joselia Aguiar

34663145240_023396bcf8_kA menos de uma semana do início da Festa Literária Internacional de Paraty, que este ano vai homenagear Lima Barreto, a curadora Joselia Aguiar conversou rapidinho com o blog. Confira:

SM – A Flip 2017 tem uma maior participação de escritoras mulheres e autores negros, e o homenageado já era uma luta sua. Olhando para a programação, como você define a Flip da curadora Joselia Aguiar?

JA – Já ouvi autores e leitores dizendo que é a Flip da resistência, a Flip negra e feminina. Acho que é uma Flip plural com autores e autoras absolutamente singulares.

SM – Tendo feito a cobertura jornalística de várias edições, qual o maior desafio que enfrentou na curadoria, estando agora à frente do evento?

JA – Fazer com que as mesas tenham mais literatura, já que nem sempre contribuem para manchetes. E mesmo assim não deixamos de tocar naquela que é a grande questão brasileira, a desigualdade social e racial.

SM – Toda edição tem aquela mesa que se destaca, a musa, o autor que bomba. Quais são as suas apostas para este ano?

JA – Difícil dizer, para o curador todas são fortes. Acho que a série Fruto Estranho vai causar muito impacto, até por ser uma proposta totalmente nova dentro do programa.

Foto: Divulgação

Inscrições abertas para a segunda edição do Prêmio Retratos da Leitura

unnamedEstão abertas as inscrições para o 2º Prêmio Retratos da Leitura, organizado pelo Instituto Pró-Livro, que realiza a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil. O prêmio se destina a projetos que fazem parte da Plataforma Pró-Livro, mas vale lembrar que mesmo projetos já cadastrados na plataforma precisam de inscrição. No ano passado foram contemplados projetos como Skoob, Expedição Vaga Lume, Companhia das Letras – Projeto Clube de leitura com remição de pena, Rede Bibliotecas Parque Estadual do Rio de Janeiro e Globo News Literatura. Para a edição de 2017, as inscrições vão de primeiro a 31 de agosto. Basta acessar a Plataforma Pró-Livro (www.plataforma.prolivro.org.br). Como no ano anterior, serão escolhidos projetos em quatro categorias: Empresas da cadeia produtiva do livro; Organizações Sociais; Mídia; Bibliotecas públicas e comunitárias. Uma equipe de especialistas fará uma seleção prévia dos finalistas e uma comissão de jurados elegerá três vencedores para cada uma das categorias. A entrega da segunda edição do prêmio ocorrerá em novembro de 2017. Além de ser um reservatório de projetos de incentivo à leitura, a Plataforma Pró-Livro também possibilita o intercâmbio de informações, pois oferece espaço para fóruns de discussões, acervo digital de estudos, teses, publicações e artigos voltados à leitura, alimentado pelos próprios usuários e, também pela curadoria do IPL.

Uma reflexão bem humorada sobre a alimentação

Dona Boca e a Revolta do CorpoDona Boca e a revolta do Corpo (Cativar) aborda de maneira divertida a importância da alimentação saudável. O texto de Josué Limeira, com ilustrações de Guilherme Gomes, incentiva os pequenos a adotar um cardápio mais diversificado e rico e mostra a grande confusão que acontece com essa turminha, proporcionando ao leitor momentos de boas risadas e reflexão sobre o assunto. Pernambucano de Recife, Limeira foi finalista do Prêmio Jabuti 2016 com O Pequeno Príncipe em cordel, adaptação bem brasileira do clássico do francês Antoine de Saint-Exupéry, que vendeu mais de 8 mil exemplares e foi adotada por 24 escolas.

Flip anuncia programação para crianças e jovens

47696842804-672Na Flip da Igreja da Matriz, a praça vai manter os tradicionais pés de livros e a programação voltada para crianças, na Flipinha, e adolescentes, na Flipzona, mas que interessam ao público em geral. A novidade fica por conta dos Cortejos Literários. No Auditório da Praça, dentro da igreja, as mesas do Território Flip | Flipinha discutem a vivência local a partir das sabedorias ancestrais, as identidades e relações de cor nos países lusófonos e o olhar para o mundo por meio da literatura. A FlipZona, na Casa da Cultura, terá exibição de filmes e minidocumentários seguidos de debates, mesas literárias sobre novas formas de linguagem e rodas de conversa destacando a leitura como um direito humano. Confira a programação completa para o evento, que vai de 26 a 30 de julho em Paraty:

 

Programa Flipinha e FlipZona

 

26, quarta

 

10h | sessão de cinema | Casa da Cultura

Kiriku, os Homens e as Mulheres

Anim., França, 2012, 82 min.

Exibição de filme seguida de debate

 

13h | roda de conversa | Casa da Cultura

Leitura: um direito humano

mediação: Bernadete Passos

 

15h30 | sessão de cinema | Casa da Cultura

Jonas e o Circo sem lona

Doc., Brasil, 2016, 82 min.

Exibição de filme seguida de debate

 

27, quinta

 

10h | Território Flip / Flipinha | Auditório da Praça

Mesa Zé Kleber – Aldeia

Álvaro Tukano

Ivanildes Kerexu Pereira da Silva

Laura Maria dos Santos

 

10h | sessão de cinema | Casa da Cultura

Waapa

Doc., Brasil, 2017, 22 min.

Meninos e Reis

Doc., Brasil, 2015, 16 min.

Disque Quilombola

Doc., Brasil, 2012, 13 min.

Curtas do Território do Brincar

Doc., Brasil, 2012, 12 min. Exibição de filmes seguida de debate

 

11h30 | Central Flipinha

Cortejo literário

Julián Fuks

 

13h | roda de conversa | Casa da Cultura

Pacto pela leitura

mediação: Pilar Lacerda

 

14h30 | Central Flipinha

Cortejo literário

Ovídio Poli Jr.

 

15h30 | sessão de cinema | Casa da Cultura

A família Dionti

Fic., Brasil e Ingl., 2015, 96 min.

Exibição de filme seguida de debate

 

28, sexta

 

10h | Território Flip / Flipinha | Auditório da Praça

A pele que habito

Joana Gorjão Henriques

Lázaro Ramos

 

10h | sessão de cinema | Casa da Cultura

Minidocs Paraty

mediação: Rodrigo Fonseca

comentários: Lucas Paraizo

 

11h15 | páginas anônimas | Casa da Cultura

Prosa: a literatura que o Brasil faz e você desconhece

Evanilton Gonçalves

Geovani Martins

Paloma Amorim

mediação: Antonio Prata

 

11h30 | Central Flipinha

Cortejo literário

Flávio de Araújo

 

13h30 | Central Flipinha

Meditação guiada

Arte de viver

 

14h30 | Central Flipinha

Cortejo literário

Djaimilia Pereira de Almeida

 

15h | mesa literária | Casa da Cultura

Literatura em todas as plataformas

Anderson França

Cássio Aguiar

Cris Salles

mediação: Cauê Fabiano

 

17h | páginas anônimas | Casa da Cultura

Música: a literatura que o Brasil faz e você desconhece

Ana Frango Elétrico

Blackyva

Matheus Torreão

mediação: Rodrigo Fonseca

 

19h | Casa da Cultura

Pocket show

Ana Frango Elétrico

Blackyva

Matheus Torreão

 

29, sábado

 

10h | Território Flip / Flipinha | Auditório da Praça

Ler o mundo

Edimilson de Almeida Pereira

Prisca Agustoni

 

10h | páginas anônimas | Casa da Cultura

Poesia: a literatura que o Brasil faz e você desconhece

Caio Carmacho

João Pedro Fagerlande

Maria Isabel Lorio

mediação: Bianca Ramoneda

 

11h30 | Central Flipinha

Cortejo literário

Noemi Jaffe

 

12h | Praia do Pontal

Regata INP Flipinha

 

12h | mesa literária | Casa da Cultura

Assista a esse livro

Fernanda Torres

Jorge Furtado

Maria Camargo

mediação: Edney Silvestre

 

13h30 | Central Flipinha

Meditação guiada

Arte de viver

 

14h30 | Central Flipinha

Cortejo literário

Paloma Amado

 

15h | sessão de cinema | Casa da Cultura

Minidocs Paraty

 

16h | Praia do Pontal

Premiação da Regata INP Flipinha

 

16h15 | mesa literária | Casa da Cultura

Corpo: artigo indefinido

Beatriz Resende

Gabriela Moura

Jaqueline Gomes de Jesus

mediação: Bianca Ramoneda

 

30, domingo

 

10h | Território Flip / Flipinha | Auditório da Praça

Todas as idades

Ana Miranda

Maria Valéria Rezende

 

11h30 | Central Flipinha

Cortejo literário

Jacques Fux

 

13h30 | Central Flipinha

Cortejo literário

Prisca Agustoni

Evento no centro de São Paulo discute o protagonismo feminino na literatura

O coletivo #KDmulheres promove neste sábado às 16h na Praça Franklin Roosevelt, 100 (centro de São Paulo) o bate-papo Escritas Urbanas, com a poeta Elizandra Souza (no alto, à direita) e a DJ Luana Hansen (foto da esquerda), e uma intervenção cenopoética do Sarau das Pretas. Luana tem 17 anos de carreira no hip-hop, é lésbica assumida e milita em questões feministas e LGBT. Já Elizandra escreve há 16 anos, é autora dos livros Punga e Águas da Cabaça e integrante do coletivo Sarau das Pretas, que propõe reflexões sobre a mulher negra na escrita e no mundo. A mediação é da jornalista Lívia Lima, que faz parte do coletivo Nós, mulheres da periferia. O debate encerra um ciclo do projeto Resgate, Inclusão e Protagonismo de Mulheres Escritoras, contemplado pelo edital municipal Redes e Ruas no último ano. Informações no portal http://kdmulheres.com.br.

Fotos: Divulgação