Joselia Aguiar é mantida na curadoria da Flip

CAD0827E-99BB-4C8A-B20F-34B74880A809Joselia Aguiar continua na curadoria da Festa Literária Internacional de Paraty. Responsável por uma Flip com maior número de autoras mulheres e de uma expressiva participação de escritoras e escritores negros e de editoras de pequeno porte, ela vai comandar a edição de 2018, que será realizada mais uma vez no fim de julho, de 25 a 29. A curadora diz que, no seu segundo ano, fará a mesma “pesquisa ampla em busca de novas vozes, modos de ver e construir narrativas, combinar linguagens e inventar sentidos.” E pretende também “descobrir como contribuir para a formação de plateias para uma festa literária como a Flip, a formação de leitores capazes de compreender linguagens e sentidos.” Joselia Aguiar ressalta que não se pode prescindir de abrir espaços para ver, ouvir e ler. “Mais do que nunca é preciso aproximar o leitor da literatura e da arte, para tornar nosso ar mais arejado, ampliar nosso horizonte e aprofundar o entendimento das pessoas e do mundo”, conclui.

Foto: Divulgação/ João Bertholini

Anúncios

Fórum das Letras de Ouro Preto começa neste domingo

Captura de Tela 2017-11-17 às 11.52.52Com o tema Sentimento do Mundo, em homenagem ao poeta Carlos Drummond de Andrade, nascido há 115 anos e falecido há 30, começa neste domingo mais uma edição do Fórum das Letras, evento gratuito que vai reunir uma centena de autores nacionais e internacionais na cidade histórica mineira de Ouro Preto e em agora também em sua vizinha Mariana. A abertura será às 19h, no Cine Vila Rica, com presença do presidente da República do Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, que também é escritor e vai lançar o livro Albergue espanhol; do presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, Manuel Pina; do prefeito de Ouro Preto, Júlio Pimenta; do secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo Araujo dos Santos; e da reitora da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Claudia Aparecida Marlière de Lima. Na cerimônia, será assinado um acordo de cidades irmãs, estabelecido entre Ouro Preto e Cidade Velha, localizada no Cabo Verde, para facilitar o intercâmbio de autores, difundir as manifestações culturais e discutir estratégias de preservação do patrimônio. A noite terá ainda a performance A voz do mar, do poeta Ricardo Aleixo, e apresentação da Orquestra da UFOP. Até o dia 26 de novembro, autores como Conceição Evaristo, Humberto Werneck e Mário Rodrigues participam da programação, organizada em diversos núcleos: Literatura em Cena, #DasLetras, Ciclo Cielo de Jornalismo e Literatura, Espaço CBL, Ciclo Sesc de Debates e Fórum das Letrinhas. A programação completa pode ser acessada no site www.forumdasletras.com.br.

Sarau das Pretas discute a intolerância religiosa

sarau das pretas_crédito_ellen fariaO assunto cada vez mais é intolerância e o Sarau das Pretas apresenta em São Paulo neste mês de novembro, pelo segundo ano consecutivo, a programação Pretas em Marcha. Desta vez, a temática passa pela intolerância religiosa, incluindo o espetáculo Quem é do asè é de paz. Todos os eventos são gratuitos e fazem alusão ao Dia Nacional da Consciência Negra, comemorado no dia 20. O coletivo, criado em março de 2016 pela poeta Débora Garcia, é composto também por Elizandra Souza, Jô Freitas Thayaneddy Alves e Taissol Ziggy. O movimento marca o propósito e o anseio de ocupar todos os espaços sociais de forma coletiva, já que não existe marcha solitária. Em 2016, a Pretas em Marcha homenageou a líder quilombola Tereza de Benguela. Quem é do asè é de paz vem sendo trabalho pelo grupo há alguns meses, após vários ataques às religiões de matrizes africanas, bem como a atos de violência física, moral e patrimonial contra as comunidades religiosas e seus membros. Confira a programação:

Saraus:

Dia 11, às 16h, no SESC Ribeirão Preto

Dia 15, às 17h no SESC Bom Retiro

Dia 18, às 15h30, no SESC Vila Mariana

Dia 19, às 16h, no E.E Armando Dias, em Jundiaí

Dia 25, às 16h, no SESC Bauru

Dia 30, às 20h30, no SESC Belenzinho

Espetáculo em homenagem à Carolina Maria de Jesus:

Dia 24, às 13h, no CEU Caminho do Mar – Zona Sul

Espetáculo Quem é do asè é de paz:

Dia 27, às 19h, no CEU Rubi – Zona Sul

Oficina de Sarau:

Dia 28, às 19h, no DRE Campo Limpo – Zona Sul

Foto: Divulgação/ Ellen Faria

Vianinha é homenageado da Flup, que começa nesta sexta-feira

logoO Vidigal, comunidade na zona sul do Rio de Janeiro, vai abrigar a sexta edição da Festa Literária das Periferias (Flup), que começa nesta sexta-feira e vai até o feriado do dia 15 de novembro. Idealizada por Ecio Salles e Julio Ludemir, a Flup foi criada em 2012 com o objetivo de ser um espaço de formação de novos leitores e autores nas periferias das grandes cidades brasileiras. O tema deste ano são as revoluções, entre elas as sexuais, científicas ou da internet, incluindo o centenário da Revolução Russa e o cinquentenário de Maio de 1968. O grande homenageado será o dramaturgo Oduvaldo Vianna Filho, o Vianinha (foto abaixo), autor de clássicos como A mão na luva e Rasga coração, morto em 1974, aos 38 anos. A programação conta com mais de 40 nomes em dez mesas e painéis, com destaque para Sam Bourcier, transgênero, escritor e ativista; Saul Williams, poeta, músico, ator e maior nome do spoken word mundial; Paolo Gerbaudo, sociólogo e jornalista referência mundial nos estudos sobre a relação entre populismo e redes sociais; e Renato Aragão (Didi), que falará em primeira mão de sua biografia, escrita pelo jornalista Rodrigo Fonseca. Confira a programação do evento:

10 de Novembro – Sexta-feira

Vila Olímpica

9h – Futebol FLUP

Praça do Vidigal

12h – Revoada de Balões

Galpão da ONG Horizonte

19h – Abertura Solene

19h30 – Vianinha, o elo perdido – Cacá Diegues

20h – “Recadão” com Osmar Prado e Nós do Morro

22h – SarALL

11 de Novembro – Sábado

Galpão da ONG Horizonte

14h – A Revolução que não fizemos

Leitura dos trechos do romance “Identidades” de Felipe Munhoz com a atriz Natália Lage

Leonardo Sakamoto e Tiago Muniz Cavalcanti, com mediação de Lisa Castro

16h – Agora por nós mesmos

Laurent Cantet e Paulo Lins, com mediação de Rodrigo Fonseca

18h – Rio Poetry Slam – Chave A

19h30 – Revolução Através da Palavra

Rockin’ Squat e Gog, com mediação de Eugênio Lima

Casarão Nós do Morro

22h – FLUP Slam BNDES – Chave A

12 de Novembro – Domingo

Galpão de ONG Horizonte

14h – Hegemonia 2.0 – Revoluções, eleições e fascismo na era das grandes redes

Paolo Gerbaudo e Fabio Malini, com mediação de Kenzo Soares

16h – Rio Poetry SLAM – Chave B

18h – Ventre negro

Françoise Vergès e Djamila Ribeiro, com mediação de Manoel Soares

20h – Rio Poetry SLAM Chave C

Casarão Nós do Morro

22h – FLUP Slam BNDES – Chaves B e C

13 de Novembro – Segunda-feira

Rua Nova

13h – FLUP Parque

13h – Encontro de pipas

13h30 – Confecção do tapete de serragem

15h – Grafite

15h – Exposição fotográfica

Galpão da Horizonte

16h30 – Rio Poetry SLAM – Semifinal 1

18h – Prêmio Carolina de Jesus

18h30 – A encruzilhada dos fazedores

Afonso Borges, Jailson de Souza, Marta Porto e Nayse Lopes, com mediação de João Corujão

20h – Rio Poetry SLAM – Semifinal 2

Casarão Nós do Morro

22h – FLUP Slam BNDES – Semifinais

14 de Novembro – Terça-feira

Rua Nova

13h – FLUP Parque

13h – Vidigal é Show!

13h30 – Concurso de poesia

13h45 – Esquetes teatrais “Não sofreu nada, porra!”

14h10 – Quis (Perguntas sobre os 40 anos de resistência contra as remoções de moradores do Vidigal)

Galpão da Horizonte

16h30 – Black poets matters

Saul Williams, com mediação de Roberta Estrela D’Alva

18h30 – Criança feliz

Renato Aragão, com mediação de Rodrigo Fonseca

20h30 – SLAM: Voz de levante

Exibição do documentário de Tatiana Lohman e Roberta Estrela D’Alva

Casarão Nós do Morro

22h – Final do FLUP Slam BNDES

15 de Novembro – Quarta-feira

Rua Nova

13h – FLUPP Parque

13h – Baile

14h – Desfile carnavalesco

15h30 – Encerramento (Anúncio do vencedor)

 Galpão da Horizonte

16h30 – A ameaça que paira sobre todos nós

Sam Bourcier e Charô Nunes, com mediação de Michelle Steinbeck

18h30 – Saul Williams

20h30 – Final do Rio Poetry SLAM

fluppsite2017ajusteshomeheaderfoot170920-6

Situações inusitadas ganham versos populares

Histórias-em-quadrinhas_CapaHistórias em quadrinhas (Escrita Fina), escrito e ilustrado por Mario Bag, usa a lógica das trovas populares para narrar situações inusitadas. Tudo pode acontecer: a mariposa Mary vira musa de um pintor, a Cigarrita tenta convencer a Sauvina a cair na folia, o Fulaninho cheio de notas vermelhas inventa uma máquina do tempo, a mãe volta a ser criança por conta de um velho disco. No livro, ele usa as quadrinhas, trovas simples, em geral inventadas pelo povo, com quatro versos, para contar histórias tresloucadas, bem divertidas, de forma poética. Autor de capas de discos de vinil e CDs, Bag tem vários livros como escritor e ilustrador, entre eles Mitos e lendas do folclore do Brasil e  A loura do banheiro e mais 10 lendas urbanas. Confira uma das quadrinhas, “A serenata”:

A lua que iluminava

a rua na noite calma

me guiou à sua casa

pra expor a minha alma.

 

Eu cantei a melodia

feita em sua homenagem,

e a janela se abriu,

moldurando sua imagem.

 

Você me viu tão contente,

esbanjando alegria,

mas perguntou, sonolenta:

“Não podia ser de dia?”

Sesc promove encontros literários em várias unidades fluminenses

flaviocarneirogd06-largeNesta quarta-feira, algumas unidades do Sesc pelo estado do Rio promovem Encontros Literários com vários escritores. Com mediação de Daniel Russel Ribas, Roseana Murray e Flávio Carneiro (à esquerda) estarão no Sesc Campos (Av. Alberto Torres, 397 – Centro), às 15h, na série Primeiro Olhares. Luiz Antonio Simas (foto abaixo) e Rodrigo Santos são os convidados da série Identidades no Sesc Niterói (Rua Padre Anchieta, 56 – São Domingos), às 16h, com mediação da jornalista Juliana Krapp. Já os poetas Carlito Azevedo e Bruna Mitrano estarão às 15h no Sesc Nova Iguaçu (Rua Dom Adriano Hipólito, 10 – Moquetá) como parte da série Expressões. A mediação é de Rafael Zacca. No Sesc Teresópolis (Rua Delfim Moreira, 749 – Várzea), às 15h, a pedida é o ilustrador Rui Oliveira, dentro da série Trajetórias. A atividade será mediada pela jornalista Mariana Filgueiras. Na próxima terça-feira, 14/11, a programação troca de lugar: Carlito e Bruna partem para o Sesc Engenho de Dentro (Rua Amaro Cavalcanti, 1661), às 14h. Rui Oliveira estará no Sesc Quitandinha (Av. Joaquim Rolla, 2 – Petrópolis), às 15h. Simas e Rodrigo se apresentam no Sesc São Gonçalo (Av. Presidente Kennedy, 755 – Estrela do Norte) às 19h. Roseana Murray e Flávio Carneiro conversam no Sesc Três Rios (Rua Nelson Viana, 327), às 18h30. Toda a programação tem entrada franca.

simas

Série apresenta novos nomes da cena literária portuguesa

9788556620804_frontcover1-8c5f0dcef6040315ed15024501379056-640-0A série Lusofonia, da Editora Jaguatirica, busca apresentar aos leitores brasileiros autores de língua portuguesa contemporâneos ainda não publicados por aqui. E começa logo com cinco lançamentos, com novos nomes da cena literária portuguesa. O romance Gnaisse, de Luís Carmelo, publicado em Lisboa pela Abysmo, que traz um professor apaixonado por uma aluna, é o primeiro de uma trilogia sobre o amor. Auto-retratos, também publicado pela Abysmo, traz poemas numerados em sequência de Paulo José Miranda, autor que também transita por outros gêneros literários. O amor e o tempo, publicado em Portugal pela Mosaico de Palavras, traz três contos do escritor e tradutor Albano Chaves.

9788556620828_frontcover1-5dbcdb9f3732205cc315016340656407-640-0Dois livros são inéditos, ambos de poesia: o volume Famosas últimas palavras, de Luís Filipe Cristóvão, o mais jovem dos autores da série; e Corvos cobras chacais, de António Carlos Cortez, versos em prosa que se assemelham a minicontos. As obras contaram com o apoio da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, do Governo de Portugal. O lançamento coincide com a comemoração do quinto aniversário da Jaguatirica e com o ano de fundação da Gato-Bravo, homóloga da editora em Portugal. A série Lusofonia terá outros lançamentos em 2018, entre eles o premiado Tragédia de Fidel Castro, de João Cerqueira, publicado em seis países.