Novidade para quem curte literatura chick lit

Divulgação Laura Conrado baixaA escritora Laura Conrado lança na Bienal do Livro Rio seu novo romance, Quando Saturno voltar (Globo). Ela vai estar no estande da da editora no feriado do dia 7 de setembro, para uma sessão de autógrafos às 15h. O pano de fundo para a história é o retorno de Saturno, acontecimento astral que marca a volta, 29 anos depois, do planeta conhecido como O Senhor do Tempo à posição em que estava no céu no dia do nascimento de cada pessoa. Por conta desse fato, ocorre o que alguns chamam de ‘crise dos 30’. No caso da protagonista, Déborah, este retorno vai trazer muitas surpresas, riso e choro, viagens e um grande amor – diferente do homem que ela namora há quatro anos e com quem sonha se casar. Tudo isso é previsto por uma cigana, que ela conhece em uma viagem de trabalho ao Chile. Correndo os riscos de viver um triângulo amoroso e de abandonar o emprego que a sustenta, ela precisará enfrentar os medos, amadurecer, finalizar um ciclo e dar início a outro, com mais consciência do que realmente precisa para ser feliz.

quando_saturno_voltar_CAPA_baixaMineira de Belo Horizonte, Laura Conrado é autora de diversos livros para o público jovem, entre eles os sucessos Freud, Me Tira Dessa e Só Gosto de Cara Errado. Foi ganhadora do Prêmio Jovem Brasileiro como destaque na Literatura em 2012.

Anúncios

Depois de SP, Café Amsterdã aterrissa no Rio

Marjolijn-HofO Café Amsterdã, uma série de eventos literários em que personalidades brasileiras e holandesas se encontram e interagem umas com as outras, terminou ontem em São Paulo e agora aterrissa no Rio de Janeiro, com uma série de debates até sexta-feira abertos ao público. Escritores, cartunistas, autores de livros infantis e músicos vão discutir a vida atual na cidade moderna, a literatura e ética, Vincent van Gogh e Anne Frank, entre outros assuntos. A abertura será nesta terça-feira, às 17h, na Biblioteca Parque Estadual (Av. Presidente Vargas, 1.261 – Centro), com leituras e filmes sobre família e crianças. Participação de Toine Heijmans, Arnon Grunberg, Arjen Duinker, Marjolijn Hof (foto), Cristiane Costa e Pedro Bial. A apresentação será de Miguel Conde, com show de Diogo Poças. A entrada é franca. Confira a programação no http://www.letterenfonds.nl/events/brasil/index-pt.php

Os livros da vida de Godofredo de Oliveira Neto

foto godofredo editadaApós lançar A ficcionista, em forma de depoimentos gravados, versando sobre roubo, assassinato e práticas messiânicas, o escritor Godofredo de Oliveira Neto se volta à obra de Machado de Assis – permanente fonte de referências e inspiração – em seu nono livro, Ilusão e mentira – As histórias de Adamastor e Lalinha (Batel). São dois contos em que as vozes de uma ave e da moradora de uma comunidade carioca desvelam universos particulares que nos levam a refletir sobre a verdade e a mentira. Enquanto o conto “Ideias de canário” serve de mote para “O galo Adamastor”, Dom Casmurro está por trás de “Val e Lalinha”. Aqui, Godofredo conta um pouco sobre suas leituras, inaugurando um novo quadro no blog.

SM – Qual o primeiro livro do qual você tem lembrança?

GON – Que me lembre agora foi a leitura do Coração simples, do Flaubert, em português, com uma tradução escrita à máquina por uma professora de português do colégio em Blumenau. Ela começava a dar Machado de Assis. Falava dos clássicos fundados sobre a noção de estética que estão acima de tudo e de todos e que a gente recebe como herança cultural. Eu devia ter aí meus 11 a 12 anos. Antes lia Monteiro Lobato e as antologias de escritores brasileiros estudadas no colégio. Foi uma pena essas antologias terem desaparecido.

SM – Que livro mais marcou a sua vida?

GON – Depois, mais esclarecido sobre a noção de literatura, e sempre direcionado por professores do colégio, foi Memórias póstumas de Brás Cubas, do Machado. Cenas quase surrealistas  do livro mexiam com o emocional da gente.

SM – O que você está lendo agora?

GON – Estou lendo Submissão, do (Michel) Houellebecq. Esquisito. Vale mais pela polêmica que levanta. Esteticamente não gosto.

Foto: Mariana Carnaval

Paris, vista poeticamente por Edgar Morin

morinAo receber em 2012 a Médaille de Vermeil, sendo homenageado como ilustre cidadão parisiense, o filósofo e sociólogo Edgar Morin relembrou, em seu discurso de agradecimento, a intensa relação com a capital francesa, e pela primeira vez pensou em escrever uma autobiografia. Assim nasceu Minha Paris, minha memória (Bertrand Brasil), onde ele visita a história da moderna capital francesa com olhar poético, de quem conhece cada detalhe – por ter vivido boa parte dessa trajetória. Escrito em ordem cronológica, além de pontuar momentos de sua vida pessoal, como a morte da mãe, o primeiro beijo e o amor pela sétima arte, o livro mostra que a cidade teve papel importante na formação intelectual de Morin, autor de mais de 30 livros. Tradução de Clóvis Marques.

Venda de livros apresenta queda

imagesA tendência de crescimento das vendas de livros em livrarias foi interrompida pela primeira vez este ano. No 8º período de 2015, o setor registrou uma variação negativa tanto em volume (- 5,5%), quanto em faturamento (- 3,1%), em comparação ao mesmo período do ano passado, alcançando um montante total R$ 100,4 milhões. Esses são alguns dos dados contidos no 6º Painel das Vendas de Livros do Brasil, referentes ao período de 13 de julho a 9 da agosto, apresentados pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros e pelo Instituto de Pesquisa Nielsen. Os números têm como base o resultado do BookScan Brasil, que apura as vendas das principais livrarias e supermercados. Com o resultado, o varejo registra um crescimento no comparativo anual de 6,61% em volume e 6,05% em faturamento, abaixo da inflação do período que é de 9,5%. Já o faturamento das editoras, no mesmo intervalo de tempo, teve uma variação negativa de 0,13%. Para este segundo cálculo, são analisados os números de exemplares vendidos, preço e desconto médio oferecidos pelos livreiros, calculando o valor bruto dos exemplares vendidos x o preço de capa. Os números têm como base o resultado do BookScan Brasil, que apura as vendas das principais livrarias e supermercados.

Holandesa apresenta ao público livro sobre Anne Frank para todas as idades

f0b92436-b0cd-4011-9fdf-e8158ba12d28JannyvanderMolenokUm das convidadas do Café Amsterdã, série de eventos com escritores holandeses que começa hoje em São Paulo e de 1º a 3 de setembro será realizado no Rio, Janny van der Molen tem encontros marcados com o público nos próximos dias, para falar sobre O mundo de Anne Frank – Lá fora, a guerra (Rocco Jovens Leitores). Neste sábado, a escritora conversa com Noemi Jaffe na Livraria Martins Fontes (Av. Paulista, 509 – Bela Vista – São Paulo), a partir das 15h, com mediação de Guiomar de Grammont. Na segunda, dia 31, a partir das 19h, o encontro será com o músico João Barone, aficionado por Segunda Guerra Mundial, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon (Rua Afrânio de Melo Franco, 290/loja 205 – Leblon – Rio de Janeiro), com mediação de Larissa Helena. Antes do debate, a atriz Rita Grego, que estrela o monólogo Mergulho ou a menina que sangrava poesia, inspirado em O diário de Anne Frank, apresentará uma versão pocket da peça. No dia 2 de setembro, às 20h, van der Molen será entrevistada pela jornalista Tania Menai no Midrash Centro Cultural (Rua General Venâncio Flores, 184 – Leblon – Rio de Janeiro). Os eventos serão realizados em inglês e a entrada é franca. Em O mundo de Anne Frank – Lá fora, a guerra, que tem a chancela da Fundação Casa de Anne Frank, a escritora holandesa recria a história da menina judia morta aos 15 anos no campo de concentração de Bergen-Belsen desde o seu nascimento, em 12 de junho de 1929, até a sua morte, em 12 de março de 1945, aproximando-a de leitores de todas as idades.

Feira de Frankfurt promove no Rio seminário sobre direitos autorais

logoA Feira do Livro de Frankfurt promove no dia 01/09, às 10h, no auditório do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Rua da Ajuda 35, 18o. andar – Centro – Rio de Janeiro), um seminário focado no tema dos direitos autorais – o RightsExpress Seminar. O tema é Negociações e contratos internacionais. Serão abordadas as questões comerciais da compra e venda de direitos — como negociar, quais as bases para se conversar, cálculo de advances, práticas de royalties etc — e também orientações legais para a elaboração dos contratos de direitos internacionais. O seminário será com a agente literária Mónica Herrero, mestre em Propriedade Intelectual pela Universidad Austral, Buenos Aires, que está desde 1993 no mercado editorial, tendo experiência nas diversas áreas, e o advogado Gustavo Martins de Almeida, com atuação na área de direito autoral e do entretenimento, responsabilidade civil e direito do consumidor, que trabalha com várias editoras e é consultor do Snel. As inscrições podem ser feitas até o dia do evento no site https://www.sympla.com.br/negociacoes-e-contratos-internacionais__36339