Revista literária da UFMG ganha edição comemorativa de seus 50 anos

homepageImage_pt_BRLogo mais, a partir das 17h30, a Faculdade de Letras da UFMG (Av. Antônio Carlos, 6.627 – Pampulha – Belo Horizonte) lança uma edição comemorativa dos 50 anos de sua Revista Literária. O lançamento, que integra as comemorações dos 90 anos da UFMG, terá um bate-papo com os organizadores e curadores da publicação e um sarau no auditório 1007Fundada em 1966 como publicação oficial da Universidade, a Revista Literária da UFMG teve 26 edições até 1996 e um último número em 2002. Por meio de seu concurso literário anual (que premiava contos e poemas) e de sua “Segunda Seção” (que reunia textos de autores convidados), revelou autores como Sérgio Sant’Anna, Luiz Vilela, Humberto Werneck, Maria Esther Maciel, Marcílio França Castro e Guiomar de Grammont. A edição comemorativa reúne 50 textos (entre contos e poemas) que representam a trajetória da publicação e marcam a segunda metade do século 20. Para chegar a essa seleção, a equipe responsável pela coletânea trabalhou por cerca de dois anos na curadoria das mais de 4,5 mil páginas da revista. Todas as edições da Revista Literária da UFMG podem ser acessadas em http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/literaria_corpo_discente/index

Anúncios

Mostra inspirada em clássicos nacionais contemporâneos abre logo mais em SP

Captura de Tela 2017-03-28 às 16.57.16Logo mais, às 20h, o Sesc Ipiranga (Rua Bom Pastor, 822 – São Paulo) inaugura com performances e leituras a exposição Contaminações, diálogos dos artistas Álvaro Franca, Cristiano Mascaro, Eder Santos, Franklin Casaro, Heleno Bernardi e Roberto Evangelista com os livros Eles eram muitos cavalos, de Luiz Ruffato; Zero, de Ignácio de Loyola Brandão; e O concerto de João Gilberto no Rio de Janeiro, de Sergio Sant’Anna. Daniela Thomas e Felipe Massara assinam a criação e projeto expográfico. A mostra ficará aberta até o dia 2 de julho, de terça a sexta-feira, das 9h às 21h30; sábados, das 10h às 21h30; e domingos e feriados, das 10h às 18h.

Eventos marcam lançamento de roteiro de J.K. Rowling

Animais fantasticos_O roteiro originalDepois do sucesso nas telas, o roteiro de Animais fantásticos e onde habitam (Rocco) chega às prateleiras, como parte do novo programa de publicação do Mundo Bruxo de J.K. Rowling. Em edição de luxo, com capa dura, sobrecapa em papel couché e miolo em papel off-white, o livro, com tradução de Anna Vicentini, apresenta uma variedade de personagens e criaturas mágicas marca a estreia como roteirista para o cinema da autora da série Harry Potter. Rio de Janeiro (na Saraiva Rio Sul – Rua Lauro Müller, 116, Botafogo) e São Paulo (Saraiva Center Norte – Av. Casalbuono, 120, Vila Guilherme) terão eventos gratuitos para os fãs no dia 9 de abril, às 16h. Os eventos, com concurso de Cosplay, distribuição de brindes, quiz e outras atividades, serão conduzidas por representantes de fã-clubes, marcando também a chegada do filme em Blu-ray 3D, Blu-ray e DVD. Primeiro de uma franquia de cinco filmes, Animais fantásticos e onde habitam chegou aos cinemas em novembro passado, e recebeu em fevereiro deste ano o Oscar de Melhor Figurino.

Geraldo Carneiro toma posse na ABL nesta sexta-feira

unnamedO poeta, tradutor, letrista e roteirista mineiro Geraldo Carneiro toma posse na Academia Brasileira de Letras nesta sexta-feira, às 21h, em solenidade no Petit Trianon. O novo acadêmico foi eleito para a cadeira 24 no dia 27 de outubro do ano passado, na sucessão do crítico teatral e ensaísta Sábato Magaldi, morto no dia 15 de julho de 2016, em São Paulo. Os ocupantes anteriores da cadeira foram: Garcia Redondo (fundador), que escolheu como patrono Júlio Ribeiro, Luís Guimarães Filho, Manuel Bandeira e Cyro dos Anjos.

Escritor jamaicano é o primeiro nome confirmado para a Flip 2017

imageA tentativa de assassinato (real) do cantor jamaicano Bob Marley é o pano de fundo de Breve história de sete assassinatos, livro que o conterrâneo do músico Marlon James vem lançar pela Intrínseca na Festa Literária Internacional de Paraty, que será realizada de 26 a 30 de julho, no sul fluminense. Com o romance, ele se tornou o primeiro jamaicano a receber o Man Booker Prize, um dos mais prestigiados prêmios literários em língua inglesa. Na Flip 2017, ele vem falar de sua história de vida, sua experiência com a literatura, com o racismo, da vida como estrangeiro nos EUA e de seus pontos de contato com o Brasil e os brasileiros. Nascido em Kingston em 1970, o escritor Marlon James define a si mesmo como um “nerd”. Filho de um advogado – leitor de Shakespeare – e de uma investigadora policial, cresceu em um típico subúrbio anglo-saxão, foi educado em colégio inglês mas, discriminado por ser gay, partiu com 200 dólares no bolso para a América, onde hoje leciona literatura em Minnesota. Ele é autor ainda de outros dois romances, John Crow’s Devil (2005), que foi recusado por dezenas de editoras, e The Book of Night Women (2009), que recebeu o Dayton Literary Peace Prize e foi finalista do National Book Critics Circle Award. A curadora da Flip, Josélia Aguiar, destaca a importância de ter um autor “que virou celebridade com um romance que gira em torno de uma grande figura da cultura negra, Bob Marley” como primeira confirmação desta décima-quinta edição, que homenageia Lima Barreto. “Marlon James não só fez um livro inventivo do ponto de vista linguístico, combinando o inglês culto ao patois jamaicano, como também o fez com uma estrutura ousada de dificílima execução – trata-se de um épico de alta temperatura que acumula mais de 70 personagens, que se alternam como narradores, numa época de grande turbulência política e social.”

Foto: Divulgação/ Jeffrey Skemp

Rio ganha novo espaço para oficinas literárias e de artes

Helena janela closeO Espaço Cultural Lago de Histórias (Rua Marechal Cantuária 18, sobrado – Urca – Rio de Janeiro) abre neste sábado, com a proposta de oferecer oficinas de criação literária e de artes regulares para crianças, em horário complementar à escola e de segunda a sexta-feira. O evento de inauguração terá atividades gratuitas para crianças e adultos e celebra, bem no Dia da Mentira, a fantasia e a ficção. Voltada também para pais, professores e todos que desejam despertar ou aperfeiçoar sua escrita e leitura, a programação da Lago tem a intenção de contribuir para as possibilidades infinitas de um leitor com um livro nas mãos. “Ler e escrever são atos muito libertadores. E a liberdade é essencial para todos”, diz Helena Lima (foto), pedagoga e professora com mais de duas décadas de experiência no ensino básico. A ideia é que os pequenos tenham novas possibilidades, além das tradicionais aulas de balé, inglês e natação. “A oficina de criação literária é uma atividade mais livre, ao mesmo tempo, muito enriquecedora para a sensibilidade e criatividade dos pequenos. Vamos treinar, com eles, o reparo para a beleza do que está tão perto e muitas vezes não é visto, o olhar do escritor. Pra isso, vale desde ler poesia até passear pelo bairro e tomar banho de mangueira.” Janelas na grade de horários da Lago de Histórias serão reservadas para atividades gratuitas para as crianças das escolas públicas do bairro. Toda a programação do espaço também está aberta para crianças portadoras de necessidades especiais. Para os adultos e jovens, haverá cursos de escrita criativa. As inscrições para todas as atividades podem ser realizadas pelo email contato@lagodehistorias.com.br e pelos telefones (21) 3518-5549 e (21) 99110-4239. Confira a programação da inauguração:

15h – Oficina de ilustração – Thais Linhares

16h15 – Contação de histórias – Ilana Progrebinschi

17h30 – Sarau de poesia e música – Luisa Benevides e André Tavares

19h – Oficina “Educação para o encantamento” – Márcio Vassallo

Cantinho da leitura

bFruto de mais de uma década de trabalho, Beethoven: angústia e triunfo (Amarilys), do compositor, professor e escritor Jan Swafford, oferece um retrato detalhado da vida e da obra do compositor alemão. Além de buscar fontes até então pouco exploradas para traçar a vida íntima do homem, desfazendo mitos persistentes e descobrindo novos detalhes sobre as principais influências formadoras do autor da Nona Sinfonia, Swafford também analisa a evolução do trabalho do compositor. Símbolo do Romantismo europeu, colecionador de frustrações amorosas e vítima de uma surdez progressiva que se manifestou no auge da fama, Ludwig van Beethoven (1770-1827) personificou a formação de uma sensibilidade moderna na música. Autor de biografias premiadas e de obras musicais executadas por grandes orquestras, Jan Swafford é professor de história da música, teoria e composição musical no Boston Conservatory. O livro de capa dura, com tradução de Laura Folgueira, tem 1.056 páginas e custa R$ 189.