Na simplicidade do vento

 

se o vento diz-2a ed_capa-em baixaO carioca José Fernando Guedes traz uma visão muito particular da vida em Se o vento diz (Imprimatur), seu primeiro livro de poesia. Neurocirurgião e professor de neurocirurgia, acostumado a salvar pacientes, ou melhor, reparar a ‘morada da alma’ deles, Guedes reflete nos versos a simplicidade das coisas, a água que ferve para o café, um azulejo rachado, a foto da mãe jovem, um sofá velho. Versos que estão a um sopro. Na apresentação, o poeta Adriano Espínola diz que “o autor, apesar da sólida formação científica, entrega-se aqui ao não-saber da poesia, cujo desvelamento deambulante é dado não só pelo vento mas também pelo “coração, ave migratória”..” José Fernando Guedes está escrevendo um romance. Confira um dos poemas de Se o vento diz:

Reencarnação                                                          

Se ao voltar, se eu voltar,

Quero voltar passarinho.

Mesmo pelos homens caçado

E tendo pela chuva destroçado o ninho.

 

Mas voarei à direita e à esquerda

Acima, abaixo, ao lado e além

Sem prestar contas a chefe ou superior

Somente ao céu e a mais ninguém.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s