Bienal do Livro apresenta programação do evento, que começa no dia 31

EntreLetras (1)Um dos destaques da 18ª edição da Bienal Internacional do Livro Rio, que começa no dia 31 de agosto, é o Entreletras (alto), área de 500 que vai mostrar que crianças e adultos ganham, a partir da literatura, uma ferramenta que as leva para muitos lugares. Composto por vários livros gigantes que se apresentam como estações de atividades, o cenário convidará o visitante a brincar e explorar o local com o corpo. Na apresentação da programação, nesta terça-feira no Rio de Janeiro, a curadora do espaço, a escritora Daniela Chindler disse que a primeira discussão é o que faz um livro ser um livro. “Para mim, é ter que juntar palavras e criar um mundo na nossa cabeça”, justificou ela, que ao lado de Graziela Domingues produziu um espaço em que os livros são representados por letras que vão traduzindo o mundo. O Entreletras, que terá ainda cerca de oito espetáculos por dia contando em forma de fábula o nascimento das letras, vai dividir os 80 mil m² de pavilhões do Riocentro com outras duas novidades: o Geek & Quadrinhos, ponto de encontro dos fãs de ficção fantástica e todos os subgêneros, coordenado por Affonso Solano; e o #SemFiltro, sob comando de Rosane Svartman e Claudia Sardinha, uma arena para abrigar 400 pessoas de várias gerações, conversando sobre poesia, moda, feminismo e representatividade. E o já tradicional Café Literário (abaixo), claro, mais uma vez com curadoria do escritor e editor Rodrigo Lacerda, que este ano foi construído sob três eixos: temas da pauta do dia, como questões de gênero, reforma político e o surgimento da pós-verdade; temas especificamente ligados à literatura; e celebrações, como o centenário do samba e os 90 anos de nascimento de Tom Jobim, que vai encerrar a série de sessões, com Ruy Castro. A literatura brasileira é a grande homenageada desta edição, que vai reunir mais de 300 autores, como Ana Paula Maia, Martinho da Vila, Pedro Siqueira, Lilian Schwarcz, Alberto Mussa, Marcelino Freire e Artur Xéxeo, entre outros, além de grandes nomes do mercado literário mundial, gente como a britânica Paula Hawkins – que vendeu mais de 20 milhões de exemplares com a publicação A garota do trem e acaba de publicar no mundo todo Em águas sombrias, que vai estar por lá no dia 2 de setembro. No dia seguinte, a Bienal vai receber Pepetela, vencedor do Prêmio Camões e um dos mais aclamados nomes da literatura em língua portuguesa da atualidade, que lançará seu novo romance Se o passado não tivesse asasFruto de uma parceria de mais de três décadas entre o Sindicato Nacional dos Editores de Livros) e a Fagga | GL events Exhibitions, a Bienal vai de 31 de agosto a 10 de setembro. Confira a programação completa no site www.bienaldolivro.com.br.

Café Literário (3)

Anúncios

Mais um nome para a Bienal do Livro

9185_33419149_hr-768x512A americana Jenny Han, autora de Para todos os garotos que amei e P.S.: ainda amo você, é mais um nome confirmado para a Bienal Internacional do Livro Rio. Ela lança no dia 2 de setembro o último livro da trilogia, Agora e para sempre, Lara Jean (Intrínseca). A série, que começou a ser publicada aqui em 2015 e já vendeu mais de cem mil exemplares, conta a história de uma menina doce e tímida que vê sua vida virar de cabeça para baixo quando suas cartas de amor mais secretas são enviadas misteriosamente para os respectivos crushes.

1IMG_2934-768x768

Começa a venda de ingressos para a Bienal do Livro

unnamedComeçou nesta sexta-feira a venda de ingressos para a 18ª Bienal Internacional do Livro Rio, que será realizada entre 31 de agosto e 10 de setembro no Riocentro. As entradas custam R$ 24 (R$ 12 a meia) e podem ser adquiridas pelo site (www.bienaldolivro.com.br), com validade para um dia de evento.  Ao realizar a compra antecipada, o visitante pode imprimir o bilhete em casa ou apresentar o QR Code direto no celular. Outra opção é retirar o ingresso durante a Bienal, em guichês especiais. O objetivo é oferecer mais conforto ao público, que poderá entrar direto mesmo em dias de mais movimento como fins de semana e feriado. A entrada é gratuita para crianças com menos de um metro de altura; autores (mediante apresentação do livro de autoria própria); professores de escolas ou universidades das redes pública e particular (que devem se dirigir ao guichê de credenciamento tendo em mãos documento de identificação com foto, além de um dos documentos a seguir: carteira de trabalho com o cargo Professor, carteira de professor da escola municipal, carteira de professor da escola estadual, contracheque atual com cargo de professor, cartão do INSS – caso seja aposentado-, diploma – ou cópia – de licenciatura em Letras e/ou Pedagogia, carteira do SINPRO – Sindicato Nacional dos Professores – ou Carteira do CREF  -Conselho Regional de Educação Física); profissionais do livro (com o crachá da empresa e contracheque atual); e profissionais de bibliotecas (com carteira de biblioteconomia). O evento vai ocupar uma área de 80 mil m² e a programação de bate-papos será em espaços como o Café Literário, o Espaço Jovem, Encontro com autores & Conexão Jovem e no Geek & Quadrinhos, grande novidade de 2017.

Bienal tem mais um nome internacional confirmado

174797A americana Victoria Schwab vem participar da Bienal Internacional do Livro Rio, que será realizada ente 31 de agosto e 10 de setembro, no Riocentro. Com 30 anos e mais de 12 livros publicados, ela vem lançar Um encontro de sombras, continuação de Um tom mais escuro de magia (Betrand Brasil), série que conta a história de Kell, um mago com a rara habilidade de viajar entre universos paralelos. No mês passado, saiu por aqui o primeiro volume de outra série dela, A melodia feroz (Seguinte), que abre “Monstros da Violência”, que tem como protagonistas dois jovens que vivem em lados opostos de uma cidade dividida. Outros oito autores estrangeiros já estão confirmados para a Bienal: Paula Hawkins, Karin Slaughter, Abbi Glines, Gayle Forman, Carl Hart, Nuccio Ordine, Pepetela e Charles Duhigg.

Série de sucesso ganha edição comemorativa na Bienal do Livro

4_OGuiaDeInvestimentosA Alta Books prepara novidades para a 18ª Bienal Internacional do Livro Rio. Com um estande 25% maior do que os dos anos anteriores, a editora vai lançar a edição comemorativa da série Pai Rico, primeiro best-seller de Robert Kiyosaki e Sharon Lechter. A série, com 24 títulos, busca mostrar como a inteligência financeira pode ser empregada para resolver problemas comuns da vida. A Bienal do Livro Rio vai de 31 de agosto a 10 de setembro.

Bienal do Livro Rio também tem novidades

sobe-pepetelaO angolano Pepetela vem lançar novo romance na 18ª Bienal Internacional do Livro Rio. Se o passado não tivesse asas (LeYa) narra a vida nas ruas de Luanda durante a guerra civil. Vencedor do Prêmio Camões em 1997, ele tem vários títulos publicados no Brasil, como Mayombe, que retrata os pensamentos de um grupo de guerrilheiros; Yaka, em que ele segue a vida de uma família colonial na cidade de Benguela ao longo de um século; e A geração da utopia, que mostra a desilusão existente em Angola depois da independência. Outros sete nomes estrangeiros já estão confirmados para a Bienal: a britânica Paula Hawkins, que vendeu mais de 20 milhões de exemplares de A garota do trem”, sendo 250 mil no Brasil; Karin Slaughter, autora de Cega, trhiller publicado em mais de 30 idiomas; Abbi Glines, conhecida pela série Rosemary Beach; Gayle Forman, que ocupou o primeiro lugar na lista do New York Times com Se eu ficar; Carl Hart, primeiro negro a ser professor titular de neurociência da Universidade Columbia, autor de Um preço muito alto; o filósofo italiano Nuccio Ordine, um dos maiores especialistas em Giordano Bruno do mundo; e o vencedor do Pulitzer Charles Duhigg. A Bienal do Livro Rio será de 31 de agosto a 10 de setembro, no Riocentro, zona oeste da cidade.

Pasolini é tema de editora estreante na Bienal

unnamedPasolini, do Neorrealismo ao Cinema Poesia, do ator e escritor paulista Davi Kinski, será lançado neste sábado, das 18h às 22 h, na 24ª Bienal Internacional do Livro, no estande M 87. O livro é uma das novidades da Laranja Original, editora criada em 2012 que estreia no evento paulista. Kinski percorre a vida e a obra do cineasta, poeta, escritor e semiólogo italiano Pier Paolo Pasolini, uma das personagens mais controversas e polêmicas da história do cinema, e busca provocar questionamentos essenciais para a formação de um cidadão ativo e participante de sua identidade e formação cultural. A editora, idealizada por Filipe Moreau, escritor e compositor, formado em Letras e Arquitetura, pelo jornalista Jayme Serva e pela fotógrafa Miriam Homem de Mello, também acolhe projetos nas áreas da música, das artes e da fotografia. Por isso, “seus livros têm figuras, suas músicas têm poesia, suas imagens têm melodia”, como afirmam seus editores. Posteriormente, entraram para a equipe a escritora e tradutora Clara Baccarin e Gabriel Mayor, fotógrafo e gestor de projetos culturais. O ineditismo de novos autores é um dos compromissos da editora, muito embora esse critério não seja um imperativo.

unnamed-1Além do livro sobre Pasolini, a casa lança na Bienal De A a Z, eróticas, de Sheila Hafez, que fala sobre fantasias femininas; Vinagre, poemas de Alexandre Barbosa de Souza com ilustrações de Rafael Campos Rocha; e Caça ao Esnarque, de Lewis Carroll, um épico nonsense publicado originalmente em 1876, na Inglaterra.