Jornal de poesia busca financiamento coletivo com apoio a partir de R$ 1

Captura de Tela 2017-06-23 às 13.52.58O jornal literário Plástico Bolha, que há dez anos publica e divulga literatura de forma independente, abriu uma campanha de financiamento coletivo na internet, na plataforma Apoia.se. A primeira meta, para equalizar os custos da equipe que avalia uma grande quantidade de material recebida, é modesta, e pode começar com doações de apenas R$ 1 por mês. A publicação criada por Lucas Viriato cresceu em número de páginas, leitores, colaboradores e pontos de distribuição e a ideia agora é que ela seja auto-sustentável, estruturada, mais regular e com ainda mais relevância no cenário literário contemporâneo, alcançando novos espaços, publicando mais poetas, formando mais leitores e divulgando mais e melhor a escrita. Viriato também é curador da exposição Poesia agora, que já passou por São Paulo, Salvador e atualmente está em cartaz na Caixa Cultural do Rio de Janeiro (Av. Almirante Barroso, 25 – Centro). O apoio pode ser feito no site https://apoia.se/plasticobolha

Anúncios

ABL elege nova diretoria

internah003A Academia Brasileira de Letras vai eleger nesta quinta-feira sua diretoria para o ano de 2017 e o presidente Domício Proença Filho é candidato à reeleição. A chapa única também é composta ainda pela secretária-geral Nélida Piñon, Ana Maria Machado como primeira-secretária, Merval Pereira como segundo-secretário e Marco Lucchesi como tesoureiro, repetindo a atual diretoria. A votação será para cada cargo, separadamente. Cada mandato na ABL é de um ano, com a possibilidade de uma reeleição, o que tradicionalmente ocorre. Ao fim dos dois mandatos, o secretário geral costuma ser o candidato à presidência. A posse será no dia 15 de dezembro, às 17h, no Petit Trianon.

Shopping promove troca de livros para estimular leitura

IMG_9402Buscando estimular o hábito da leitura de forma acessível, o NorteShopping (Av. Dom Hélder Câmara, 5.474 – Cachambi – Rio de Janeiro), por meio do projeto NorteShopping Consciente, aproveitou o espaço ocioso de um tapume no primeiro piso para criar uma espécie de biblioteca pública com troca de livros. O cliente passa pela estante e pode pegar qualquer livro de seu interesse. A ideia é que ele retorne ao shopping com livros próprios que queira dividir com as demais pessoas, deixando seus livros usados na estante e assim compartilhar histórias e conhecimento. A estante ficará no local por tempo indeterminado.

Campanha aproveita livros para contar histórias de crianças em situação de risco

divulgacaoA ONG ActionAid iniciou uma campanha para divulgar histórias reais de crianças em situação de risco nas páginas que sobram nos livros. O espaço usado é a folha de rosto em branco das publicações. O objetivo é chamar a atenção do público para a iniciativa “Mude uma vida”, através da qual é possível apadrinhar uma dessas crianças e garantir acesso a seus direitos, de acordo com as necessidades da comunidade em que ela vive. A campanha, Folha de Rostos, surgiu dentro da agência 3AWW, parceira da ONG. O diferencial do projeto, segundo os criadores, fica por conta do baixo investimento que ele apresenta para as editoras que participam, já que a impressão a mais de uma página que já está encartada acaba sendo um custo não muito significativo. Por enquanto, o projeto tem como parceiros a Livraria da Travessa e a Editora Valentina, mas outras editoras já mostraram interesse em participar.

Renovação do Conselho Nacional de Política Cultural

unnamedVai até sexta a votação aberta pelo Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), principal órgão colegiado do Ministério da Cultura (MinC) de participação popular para construção de políticas públicas, para compor seus Colegiados Setoriais e o Plenário do conselho. São vários colegiados; um deles, de Literatura, Livro e Leitura. Os Colegiados Setoriais são instâncias que compõem o CNPC, formadas por 40 integrantes, dos quais 30 são da sociedade civil (15 titulares e 15 suplentes) e 10 do Poder Público (divididos em cinco titulares e cinco suplentes). Basta acessar http://cultura.gov.br/votacultura/

Campanha busca mostrar diversidade cultural do país aliada ao livro

unnamed-1O Brazilian Publishers vai apresentar na Feira de Frankfurt a nova campanha que representará o Brasil em feiras e eventos literários mundo afora. “O Brasil lê o mundo. O mundo lê o Brasil” foi o slogan escolhido pelo projeto resultado da parceria entre a Câmara Brasileira do Livro e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A ideia é mostrar ao mercado editorial internacional, de maneira simples e objetiva, que a nossa diversidade cultural aliada ao profissionalismo e ao talento da indústria do livro brasileiro nos tornaram uma nação exportadora de livros e de direitos autorais para qualquer lugar do mundo. A nova comunicação visual estará presente em todos os estandes de feiras e catálogos.