Histórias e lendas do rio Doce

Uma-historia-dentro-da-outra_CAPA-assessoriaSempre é hora de falar do rio Doce, que cruza parte de Minas Gerais e e do Espírito Santo, que em 2015 foi atingido por um mar de lama, no que se configurou o maior desastre ambiental do Brasil e um dos maiores da humanidade. Em Uma história dentro da outra e Lendas do Rio Doce (Zit), a escritora Geny Vilas-Novas, mineira do Vale do Rio Doce, narra histórias e ‘causos’ de sua infância passadas na região, resgatando a cultura e o imaginário do povo ribeirinho, que vem passando por grandes perdas desde que os rejeitos tóxicos invadiram vários municípios do entorno do rio. São histórias como a do filho do caçador, que ficava sob os cuidados de um cão enquanto o pai saía para caçar; do Capeta que se transforma num gato preto para desmantelar a vida de um casal feliz; ou do menino que caiu dentro do rio e que o pai transformou num peixe enorme de escamas douradas. Entremeadas a essas lendas, as histórias da meninice no sítio. Lembranças da alegre convivência em família, com direito a telescópio feito de argila, expectativa ante um ovo de ema, quadro da Mona Lisa que dá medo. Ilustrações de Flávio Colin, craque do desenho que nos deixou em 2002. Os direitos autorais do livro e parte dos direitos da editora serão doados para a recuperação do rio Doce.

Anúncios

A infância de Machado de Assis, para os pequenos

74630451-10e5-4203-a56c-ce3753975e0fA infância pobre de Machado de Assis é o tema de O menino que vendia sonhos (Escrita Fina), de Alexandre Azevedo. Autor de mais de 120 livros, muitos voltados para crianças, o escritor mineiro faz uma historinha curta mostrando Machado de Assis como um menino de dez anos vendendo pelas ruas do centro do Rio de Janeiro os sonhos feitos pela madrasta. As ilustrações em tons sépia de Rubem Filho recriam a cidade do século XIX, retratada nos clássicos do Bruxo do Cosme Velho. Ideal para crianças a partir dos cinco anos, que já vão se familiarizando com o nome de um dos maiores escritores brasileiros de todos os tempos.

Para divertir e ajudar os pré-adolescentes a superar a insegurança

Nao Cale Fale - Capa CP 01ed01 CORR.inddEm Não cale! Fale (Melhoramentos) aborda os medos e inseguranças por meio de um menino, Joe Alton Miles, mais conhecido como Jelly, que adora jogos de computador e resolve disputar pra valer o Concurso Anual de Oratória da escola por conta do prêmio, um tablet. Além de ter que falar diante de todos e ser o centro das atenções, precisa enfrentar Victoria, a insuportável garota popular da escola, que acha que todas as premiações são dela. No caminho, Jelly vai percebendo que outras coisas estão em jogo, como sua imagem diante dos colegas, e acaba descobrindo quem são seus verdadeiros amigos. O livro é da guianense radicada no Canadá Jennifer Mook–Sang, e já levou vários prêmios. Tradução de Renata Tufano.

Situações inusitadas ganham versos populares

Histórias-em-quadrinhas_CapaHistórias em quadrinhas (Escrita Fina), escrito e ilustrado por Mario Bag, usa a lógica das trovas populares para narrar situações inusitadas. Tudo pode acontecer: a mariposa Mary vira musa de um pintor, a Cigarrita tenta convencer a Sauvina a cair na folia, o Fulaninho cheio de notas vermelhas inventa uma máquina do tempo, a mãe volta a ser criança por conta de um velho disco. No livro, ele usa as quadrinhas, trovas simples, em geral inventadas pelo povo, com quatro versos, para contar histórias tresloucadas, bem divertidas, de forma poética. Autor de capas de discos de vinil e CDs, Bag tem vários livros como escritor e ilustrador, entre eles Mitos e lendas do folclore do Brasil e  A loura do banheiro e mais 10 lendas urbanas. Confira uma das quadrinhas, “A serenata”:

A lua que iluminava

a rua na noite calma

me guiou à sua casa

pra expor a minha alma.

 

Eu cantei a melodia

feita em sua homenagem,

e a janela se abriu,

moldurando sua imagem.

 

Você me viu tão contente,

esbanjando alegria,

mas perguntou, sonolenta:

“Não podia ser de dia?”

Livro-brinquedo destaca o maior espetáculo da Terra

Natalia CircoConsiderado o maior espetáculo da Terra, o circo é o tema do primeiro livro-brinquedo da escritora Natalia Avila. Feito para ser lido em voz alta, Circo das estrelas busca ensinar as crianças a importância de tarefas como decorar o espaço com itens simples ou trabalhar a coordenação motora dos pequenos, em atividades como preparo da maquiagem do personagem. No circo criado por Natalia, onde o palhaço laça planetas e a foca equilibra a lua no focinho, domar a fera tem que ser com um ato de gentileza e o equilibrista fica voltado a balancear bem os alimentos durante as refeições. A estratégia ajuda a fazer com que as crianças se organizem, como se fossem trabalhar no circo, a partir do que vem sendo dito pelo locutor. O livro pode ser adquirido no site sonhosdebolso.com.

Sumiço de estátua é o ponto de partida de nova série investigativa para jovens leitores

image006O sumiço de uma grande estátua de bronze, que enfeitava a praça do condomínio, é o pretexto para a aprendiz de detetive Cecília iniciar uma investigação com seus amigos. E é também investindo na curiosidade em solucionar um enigma que o escritor Luis Eduardo Matta busca estimular novos leitores, em Detetive Cecília e a águia de bronze (Editora do Brasil), nova série de aventuras. “Como leitor adolescente de séries, não foi à toa que me tornei um escritor de séries para adolescentes”, diz o autor, que publicou seu primeiro livro com 18 anos. Com ilustrações de Fábio Sgroi, o livro começa quando a grande águia de bronze desaparece do chafariz da praça do condomínio e a protagonista resolve então solucionar o caso com seus amigos. Construído numa antiga fazenda, o condomínio possui a Casa Velha, antiga sede da propriedade, onde os personagens fazem incursões e descobrem o mistério que envolve o sumiço da estátua. Com personagens de diferentes idades e grupos sociais diversos, a narrativa abraça temas como ética, cidadania, sociabilidade, amizade e justiça.

 

Uma reflexão bem humorada sobre a alimentação

Dona Boca e a Revolta do CorpoDona Boca e a revolta do Corpo (Cativar) aborda de maneira divertida a importância da alimentação saudável. O texto de Josué Limeira, com ilustrações de Guilherme Gomes, incentiva os pequenos a adotar um cardápio mais diversificado e rico e mostra a grande confusão que acontece com essa turminha, proporcionando ao leitor momentos de boas risadas e reflexão sobre o assunto. Pernambucano de Recife, Limeira foi finalista do Prêmio Jabuti 2016 com O Pequeno Príncipe em cordel, adaptação bem brasileira do clássico do francês Antoine de Saint-Exupéry, que vendeu mais de 8 mil exemplares e foi adotada por 24 escolas.