Festival Internacional e Primavera Literária se encontram em Belo Horizonte para celebrar a diversidade

maxresdefault.jpgPorsha Olayiwola (foto), Felix Kaputu, Conceição Evaristo e Eliane Potiguara são alguns dos destaques da segunda edição do Festival Literário Internacional de Belo Horizonte – FLI-BH, que será realizado entre os dias 14 e 17 de setembro, no Centro de Referência da Juventude (Praça da Estação, s/n – Centro), em parceria com a terceira edição da Primavera Literária, da Liga Brasileira de Editoras Independentes (Libre). A programação, toda gratuita, contará com palestras, rodas de conversa, oficinas, saraus, narrações de histórias, exposições, feira de escritores e editoras independentes, lançamentos de livros, sessões de autógrafos, mostra de cinema e literatura, bibliotecas para bebês e intervenções urbanas.

Com curadoria de Francisco de Morais Mendes e Adriane Garcia, o tema deste ano será Vozes de todos os cantos, que propõe trazer à cena a diversidade que a literatura expressa reunindo grupos que movimentam a cena literária na cidade e em diferentes partes do mundo. Estão confirmados nomes como a poeta e educadora social Nívea Sabino, que usa a poesia como modo de resistência ao racismo, lesbofobia e sexismo; o escritor Rogério Coelho, que desenvolve há mais de oito anos o projeto Coletivoz, propondo encontros literários por meio de oficinas, saraus, batalhas de rima e poesia; e Camila Félix e Vito Julião, integrantes do Circuito Metropolitano de Saraus, coletivo composto pelos saraus de BH e região que pretende promover os encontros de poesia e a circulação de pessoas por esses espaços na cidade. Outros convidados são a atual Campeã do Mundial de Slam, a americana Porsha Olayiwola; a escritora e professora da Universidade de Coimbra Teolinda Gersão; o escritor e pesquisador congolês Felix Kaputu, refugiado que reside temporariamente no Brasil; a professora, escritora e ativista indígena Eliane Potiguara, fundadora da Rede Grumin de Mulheres Indígenas; e a escritora, poeta e romancista mineira Conceição Evaristo, que foi um dos grandes destaques da Festa Literária Internacional de Paraty.

Apostando na bibliodiversidade, a Primavera Literária retoma a parceria com o festival, reunindo 39 editoras independentes, que vão apresentar títulos com descontos de até 50% sobre o preço de capa. A homenageada será a escritora e jornalista Laís Corrêa de Araújo, titular da coluna Roda gigante, publicada regularmente durante muitos anos no jornal Estado de Minas. Toda a programação é gratuita. Informações no site www.flibh.com.br.

Anúncios

Mostra que reúne o melhor da poesia brasileira tem último sarau neste sábado

34411514812_73a0e77676_kUm sarau neste sábado às 16h marca o encerramento da exposição Poesia agora na Caixa Cultural Rio de Janeiro (Av. Almirante Barroso, 25 – Centro). A mostra, no entanto, pode ser conferida até domingo, das 10h às 21h. No sarau, comandado pelo curador da exposição, Lucas Viriato, o microfone estará aberto para quem quiser mostrar seu talento. A lista de inscrição será feita na hora e cada poeta terá até três minutos para falar.  A exposição Poesia agora exibe obras dos principais poetas em atividade no país, abrindo espaço para o trabalho de artistas que, apesar de pouco conhecidos, possuem uma produção relevante. A entrada é franca.

Foto: Divulgação/ Ulisses Dumas

Peça inspirada em Diderot tem nova montagem em cartaz no Rio

ziembinnski foto flávia fafiãesEscrita por Ronaldo Lima Lins há 28 anos a pedido do ator e mímico Luís de Lima, que nunca chegou a encená-la, Jacques e a revolução, ou Como o criado aprendeu as lições de Diderot tem nova montagem da Todo o Mundo Cia de Teatro, dirigida por Theotonio de Paiva, e pode ser conferida neste domingo e no dia 30 de julho, às 19h30, no Teatro Ziembinski (Rua Heitor Beltrão, s/nº – Tijuca – em frente ao metrô São Francisco Xavier – Rio de Janeiro). Professor Emérito da Faculdade de Literatura da UFRJ, Lins escreveu em 1979 uma tese de doutorado referendada pelo próprio objeto de estudo: O teatro de Nelson Rodrigues: uma realidade em agonia. Jacques e a revolução é seu único texto teatral, uma inspirada comédia dramática que flerta com os dias de hoje, marcados por propinas, apropriação indébita de capital público e pouco apreço pelo cidadão. Os atores Abílio Ramos, Ana Luiza Accioly, Katia Iunes e Luiz Washington interpretam 18 personagens. Ingressos: R$ 40 (inteira), R$ 20 (meia) e R$ 15 (lista amiga).

Foto: Divulgação/ Flávia Fafiães

 

Evento no centro de São Paulo discute o protagonismo feminino na literatura

O coletivo #KDmulheres promove neste sábado às 16h na Praça Franklin Roosevelt, 100 (centro de São Paulo) o bate-papo Escritas Urbanas, com a poeta Elizandra Souza (no alto, à direita) e a DJ Luana Hansen (foto da esquerda), e uma intervenção cenopoética do Sarau das Pretas. Luana tem 17 anos de carreira no hip-hop, é lésbica assumida e milita em questões feministas e LGBT. Já Elizandra escreve há 16 anos, é autora dos livros Punga e Águas da Cabaça e integrante do coletivo Sarau das Pretas, que propõe reflexões sobre a mulher negra na escrita e no mundo. A mediação é da jornalista Lívia Lima, que faz parte do coletivo Nós, mulheres da periferia. O debate encerra um ciclo do projeto Resgate, Inclusão e Protagonismo de Mulheres Escritoras, contemplado pelo edital municipal Redes e Ruas no último ano. Informações no portal http://kdmulheres.com.br.

Fotos: Divulgação

Roda de conversa discute envelhecimento a partir da literatura 

Cecilia MeirelesA Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (Rua Davi Campista – Humaitá) promove, no dia 8 de julho, das 10h às 13h, uma roda de conversa com o tema Envelhecimento na Literatura. A ideia é discutir sobre envelhecimento a partir de trechos de livros, músicas e outras formas de expressão da arte. As organizadoras, as psicanalistas Maria Cristina Amendoeira, Maria do Carmo Gomes Soares e Miriam F. Fainguelernt, selecionaram algumas obras que darão o ponto de partida ao bate-papo, mas o público também pode levar suas sugestões e chegar para conversar. Entre as obras pré-selecionadas estão trechos dos livros A máquina de fazer espanhóis, de Walter Hugo Mãe, e A solidão dos moribundos, de Norbert Elias; o conto “Ruído de passos”, de Clarice Lispector; o poema “Retrato”, de Cecília Meireles (foto), e versos  da música Envelhecer, de Arnaldo Antunes, e da canção que Gilberto Gil escreveu para a cardiologista que fez uma biópsia nele no ano passado. As inscrições gratuitas devem ser feitas pelo e-mail sbprj@sbprj.org.br ou pelos telefones (21) 2537-1333 e 2537-1115.

Salão do Livro para Crianças e Jovens abre amanhã para o público em geral

image004Abre amanhã para o público o 19º Salão FNLIJ do Livro para Crianças e Jovens. O evento, que começou hoje exclusivamente para professores, está mais enxuto pela falta de patrocínios, mas quem for ao Centro de Convenções SulAmérica/Salão Nobre (Av. Paulo de Frontin, 01 – Cidade Nova – Centro – Rio de Janeiro) vai poder conferir uma série de lançamentos bacanas e bate-papos com escritores e ilustradores que têm como principal objetivo estimular a formação de leitores. Fabrício Valério, autor de A menina que parou o trânsito (V&R), conversa com o público nesta quinta-feira, às 11h. Com ilustrações de Bruna de Assis Brasil, o livro propõe uma pausa no ritmo frenético da cidade grande, fazendo uma reflexão sobre a questão da mobilidade urbana e do empoderamento infantil. O livro marca a estreia de Valério, que é o editor responsável pela publicação de Diário de um Banana no Brasil. Destaque também para a escritora e ilustradora Rosinha, que está lançando O mar de Cecília (Editora do Brasil), que integra a coleção Poíesis. Ela conversa com os pequenos leitores nesta sexta-feira, às 9h. Na quarta-feira, às 14h, a escritora Patrícia Barboza fala sobre seu novo livro A consultora teen. (Verus), que tem como protagonista uma jovem que acaba de se mudar com a família para outra cidade e resolve criar um canal de comunicação com outros adolescentes. Confira a programação completa do Salão FNLIJ em https://salaofnlij.wordpress.com/programacao/. O evento vai até o dia 28, de segunda a sexta-feira das 8h30 às 17h, e sábado e domingo das 10h às 18h, com ingressos a R$ 12.

Passeio histórico gratuito faz homenagem a Machado de Assis

Machado_Tiago pbMachado de Assis será homenageado neste sábado no passeio histórico gratuito comandado pelo professor Milton Teixeira ao Cemitério da Penitência (Rua Monsenhor Manoel Gomes 307 – Caju), um dos mais antigos do Rio de Janeiro, construído em 1875. O Bruxo do Cosme Velho será interpretado pelo ator Tiago Azevedo (foto), que vai falar sobre a construção da cidade maravilhosa usando trechos de livros como Dom Casmurro e Memórias Póstumas de Brás Cubas. A cidade do Rio de Janeiro é a grande estrela da obra de Machado, sua musa inspiradora, onde o escritor passou toda a sua vida. Estão sepultadas no Cemitério da Penitência personagens ilustres da história do Rio, como o Comendador Francisco Ferreira das Neves, que dá nome ao tradicional Largo das Neves, em Santa Teresa; o Barão de Vista Alegre, Manoel Pereira de Souza Barros, que herdou fazendas de café do pai e participou ativamente da vida política do Império; e Cândido Borges Monteiro, mais conhecido pelo título de Visconde de Itaúna, conselheiro do Imperador D. Pedro II e médico da Família Imperial. Para participar do passeio turístico, não há necessidade de inscrição prévia, basta chegar ao local 15 minutos antes do início do tour, marcado para começar às 14h. Telefone para informações: (21) 2580-4479.

CEMITÉRIO DA PENITÊNCIA - IMAGEM ALTA 07.JPG