Biógrafa de Clarice conta a história de um projeto social de sucesso

Captura de Tela 2018-01-15 às 11.41.10Biógrafa de Clarice Lispector, a escritora Teresa Montero lança amanhã às 19h, na Livraria Argumento (Rua Dias Ferreira, 417 – Leblon – Rio de Janeiro) o livro Um palco e muitas vidas. 10 anos de histórias no palco da vida (Eldorado). É a história do premiado No Palco da Vida, idealizado e dirigido pelo ator e diretor Wal Schneider, nome artístico do cearense José Valdemir da Silva Gomes, que lutou para construir o projeto social. Com a ajuda de amigos, vem batalhando nesta última década para manter seu sonho, sediado no Centro Cultural Atriz Chica Xavier, um dos raros pontos de cultura da zona norte do Rio, que ministra oficinas gratuitas de teatro, música e cinema para jovens do Complexo do Alemão, da Vila Cruzeiro, da Maré, de Duque de Caxias. Além da trajetória de Schneider, que veio para o Rio de carona em um caminhão de frutas, aos 17 anos, o livro também reúne fotos e depoimentos de integrantes do projeto e amigos do palco como Ana de Hollanda, Jaqueline Laurence, Ricardo Cravo Albin e Malu Mader. O grupo, inclusive, costuma participar dos passeios O Rio de Clarice, em que Teresa Montero desbrava os caminhos da cidade que a escritora percorria e muitas vezes traduzia em livros. Um palco e muitas vidas. 10 anos de histórias no palco da vida terá outra sessão de autógrafos, no dia 27 de  janeiro, na sede do projeto (Rua Uranos, 1.363 – Olaria), que inclui um bate-papo com a atriz Ruth de Souza.
Anúncios

Presentes de Natal

13387_gg.jpgPara quem deixou para comprar os presentes de Natal de última hora, segue aqui uma lista com algumas sugestões de lançamentos recentes para vários estilos de leitores. Começo por dois romances, de dois grandes nomes da literatura das Américas. A noite da espera (Companhia das Letras) é o mais novo de Milton Hatoum, um dos maiores autores brasileiros contemporâneos, que este ano teve sua obra-prima Dois irmãos levada às telinhas, ajudando a popularizar seu nome. O lançamento, o primeiro da série O Lugar Mais Sombrio, é uma espécie de diário que tem como protagonista um jovem paulista que vai para Brasília nos anos 1960. O outro é Muito além do inverno (Bertrand Brasil). Depois de encontrar um novo amor, aos 75 anos de idade, após se separar do marido com quem viveu por 28 anos, a peruana Isabel Allende fala de um casal improvável tendo uma nova chance durante uma aventura que vai do Brooklyn do presente à Guatemala de um passado recente, do Chile dos anos 1970 ao Brasil dos anos 1980.

Lady Susan capa site-240x360Para quem gosta de histórias curtas, a série A arte da novela, da editora Grua, traz dois lançamentos: Lady Susan, de Jane Austen, romance epistolar do fim do século XVIII, e Na baía, de Katherine Mansfield, de 1922 passado em um dia de verão. Já quem adora romances longos não vai se espantar com Crônica do pássaro de corda (Alfaguara), um tijolaço de mais de 700 páginas, clássico do japonês Haruki Murakami publicado em 1994 que só agora chega ao Brasil. O livro reflete sobre amor e violência por meio de um personagem comum, que vê sua vida se transformar quando seu gato desaparece. Para fãs de aventuras, a pedida é O caçador de demônios (Harper Collins), estreia na literatura do ator Wesley Snipes com o roteirista Ray Norman, que traz uma médica que resolve investigar pacientes de um hospital público que sofrem mutações após usar uma droga desconhecida. Para quem adora biografia, duas sugestões. O livro de Jô, uma autobiografia desautorizada volume 1 (Companhia das Letras) é a primeira parte das lembranças que Jô Soares escreveu com o jornalista Matinas Suzuki Jr., um registro da vida e da trajetória profissional deste que é um dos mais queridos nomes da história da televisão brasileira.

zaharO outro é A marca do Z – A vida e os tempos do editor Jorge Zahar (Zahar), um perfil do grande editor escrito por Paulo Roberto Pires que vai encantar não só quem ama os livros mas também leitores que buscam memórias da vida cultural, política e social do Brasil no século XX. O lançamento comemora os 60 anos da casa editorial. Na área de não-ficção, dois títulos que vão agradar. A história do século 20 para quem tem pressa (Valentina), das britânicas Nicola Chalton & Meredith MacArdle, faz de maneira resumida um inventários dos cem anos que tiveram duas guerras mundiais, viram surgir a televisão e a internet e a produção de carros e aviões. É o quinto título da coleção que já vendeu mais de 350 mil exemplares por aqui. E para se conectar com o espírito, há uma nova edição de Amar e ser livre – As bases para uma nova sociedade (Harper Collins), do mestre espiritual brasileiro Sri Prem Baba. De forma clara, o guru explica que a liberdade deve andar lado a lado com o amor e mostra como relacionamentos saudáveis podem melhorar o mundo.

 

O comportamento humano em versos, ficção e autoajuda

Captura de Tela 2017-12-06 às 13.06.27A Giostri Editora lança logo mais, às 19h, na Livraria da Travessa da Barra, no BarraShopping, três obras de autoria de Ninah Arethe: o romance Entre teias e ventanias, os poemas de Fragmentos da vida e do tempo e as impressões e dicas sobre relacionamentos de Conviver e crescer – Refletindo sobre a vida a Dois. Especialista no comportamento humano, neste último ela fala de empatia e solidariedade para ajudar a solucionar os problemas da vida em comum. O romance tem como protagonista uma personagem que faz uma interlocução com o real, com o imaginário, o oculto e o sobrenatural para refletir sobre o universo feminino. Já o volume de poesia aborda a questão da contemporaneidade e o efeito de despedaçamento no amor e suas diversas nuances.

Vencedores do prêmio Sesc se reúnem para três sessões de autógrafos

image003A Record está lançando os dois livros vencedores do prêmio Sesc de Literatura de 2017: o romance Última hora, de José Almeida Júnior, e o livro de contos O abridor de latas, de João Meirelles Filho. Título do jornal comandado por Samuel Wainer, Última hora conta a história de um jornalista militante do Partido Comunista que acaba indo trabalhar no veículo que apoia Getúlio Vargas. Para abordar o dilema do protagonista, Almeida reconstrói os últimos meses do presidente no governo, antes do suicídio, e a briga entre Wainer e seu principal concorrente, Carlos Lacerda, dono da Tribuna da Imprensa. Natural de Mossoró, RN, José Almeida Júnior mora em Brasília, onde é defensor público.

image004O abridor de latas reúne oito histórias ambientadas na Amazônia Oriental, no Pará, no Maranhão e em Belém. Autor de livros de não-ficção sobre a floresta amazônica, nos contos Meirelles explora a Amazônia, o Cerrado, a Caatinga e o Pantanal por meio do linguajar caboclo, pelos saberes e fazeres locais e pelo contraste entre o urbano e o rural. Nascido em São Paulo, João Meirelles Filho trabalha há 20 anos no Instituto Peabiru, ONG que atua na área dos direitos sociais e ambientais. Os dois livros serão lançados nesta terça-feira no Sesc 24 de maio, em São Paulo. No dia 5 de dezembro, é a vez do Sesc Presidente Dutra, em Brasília. No dia 7, a sessão de autógrafos será em Belém, no Sesc Boulevard.

Francis Hime esmiúça seus clássicos da MPB

unnamedNesta quinta-feira, Francis Hime lança na Livraria da Vila (Alameda Lorena 1.731 – São Paulo), às 19h, Trocando em miúdos as minhas canções (Terceiro Nome), em que descreve e comenta seu processo de criação, examinando várias circunstâncias e influências presentes na elaboração de suas obras. Com quase 60 parceiros, alguns do quilate de Vinicius de Moraes, Chico Buarque e Paulo César Pinheiro, Francis esmiúça em dez capítulos curiosidades sobre sua atuação profissional e sua formação pessoal, e relembra a criação de grandes clássicos da música popular brasileira, como Vai passar, Atrás da porta Trocando em miúdos, e algumas trilhas de cinema. A análise e citação de suas composições, bem como de compositores que o influenciaram, vem acompanhada de uma gravação que pode ser ouvida por meio de 352 QR-Codes distribuídos ao longo do livro, nos quais Francis analisa o caminho que possivelmente seguiu ao compor determinada canção. Cerca de 150 canções foram gravadas em estúdio no formato piano e voz pelo próprio Francis, especialmente para o livro, e outra parte são fonogramas que já existiam, com amigos que fizeram questão de participar desta celebração.

Nova série de literatura fantástica

ebookcover_35O Império de Yxor é o cenário de Lobo e gelo (Chiado), primeiro volume da série O Legado da Ruína, que será lançado logo mais, às 19h, na Livraria da Travessa de Ipanema (Rua Visconde de Pirajá, 572 – Rio de Janeiro). A história criada pelo médico William Tannure, fascinado pela cultura nerd, mostra a união entre um herói e a herdeira do maior dos rebeldes, que gera três príncipes de personalidade e objetivo diferentes: Regnar, o mais velho e herdeiro do trono, luta contra as vontades de seu pai para tentar seguir seu caminho; Arcaedas, um feiticeiro talentoso e arrogante, assolado por uma enfermidade que o privou do sentido da visão; e Syric, um jovem confuso, com o presente e o futuro envoltos em dúvidas e mistérios. Cada um deles parte em busca de sua jornada pessoal, motivada por ambições e vontades particulares.

 

 

 

Coleção de novelas ganha mais dois títulos

Captura de Tela 2017-06-05 às 16.57.26A editora Grua lança mais dois títulos da coleção A arte da novela. O horlá, do francês Guy de Maupassant, traz um burguês que mora perto de Rouen, com vista para o Sena, narrando estranhos acontecimentos na forma de um diário. A edição apresenta pela primeira vez juntas em português as três versões da história: a versão final de 1887, que abre o volume, o texto de mesmo nome publicado um ano antes e o conto “Carta de um louco”, de 1885, evidenciando o longo caminho de criação que o escritor percorreu. Tradução de Sergio Flaksman. O outro lançamento é Na ilha de Falesá, do escocês Robert Louis Stevenson, tradução de Bernardo Ajzenberg, em que o aventureiro britânico Wiltshire conta a história que viveu na ilha para onde se mudou ao ser designado a ocupar um posto da empresa em que trabalhava. Originalmente censurado por sua editora britânica, o texto de Stevenson é ao mesmo tempo uma novela de ação e aventura e uma crítica mordaz ao colonialismo e ao imperialismo, trazendo à luz alguns temas sensíveis do século XIX: miscigenação, imperialismo e exploração econômica. Cada livro da coleção custa R$ 21,50. A editora tem uma promoção em seu site com os 20 títulos a R$ 345. Também é possível comprar 15 livros por R$ 260. Confira em http://www.grualivros.com.br/catalogo/a-arte-da-novela