Bienal tem mais um nome internacional confirmado

174797A americana Victoria Schwab vem participar da Bienal Internacional do Livro Rio, que será realizada ente 31 de agosto e 10 de setembro, no Riocentro. Com 30 anos e mais de 12 livros publicados, ela vem lançar Um encontro de sombras, continuação de Um tom mais escuro de magia (Betrand Brasil), série que conta a história de Kell, um mago com a rara habilidade de viajar entre universos paralelos. No mês passado, saiu por aqui o primeiro volume de outra série dela, A melodia feroz (Seguinte), que abre “Monstros da Violência”, que tem como protagonistas dois jovens que vivem em lados opostos de uma cidade dividida. Outros oito autores estrangeiros já estão confirmados para a Bienal: Paula Hawkins, Karin Slaughter, Abbi Glines, Gayle Forman, Carl Hart, Nuccio Ordine, Pepetela e Charles Duhigg.

Anúncios

ABL faz homenagem a centenário de imortais

unnamedA Academia Brasileira de Letras promove nesta quinta-feira, às 17h30, uma mesa-redonda em celebração ao centenário de nascimento dos acadêmicos Antonio Callado, Celso Cunha e Roberto Campos, todos já falecidos. A homenagem será conduzida pelos acadêmicos Alberto Venancio Filho, Cícero Sandroni e Evanildo Bechara, sob a coordenação do presidente da ABL, Domício Proença Filho. Quarto ocupante da cadeira 8, eleito em 17 de março de 1994, na sucessão de Austregésilo de Athayde, o jornalista e escritor Antonio Callado nasceu em 26 de janeiro de 1917 e faleceu em 28 de janeiro de 1997. Celso Cunha, quarto ocupante da cadeira 35, foi eleito em 13 de agosto de 1987, na sucessão de José Honório Rodrigues. Professor, filólogo e ensaísta, nasceu em 10 de maio de 1917 e morreu em 14 de abril de 1989. Sétimo ocupante da cadeira 21, eleito em 23 de setembro de 1999, na sucessão de Dias Gomes, o economista e diplomata Roberto Campos nasceu em 17 de abril de 1917 e faleceu no dia 9 de outubro de 2001. O evento, no Salão Nobre do Petit Trianon (Avenida Presidente Wilson, 203 – Castelo – Rio de Janeiro) tem entrada franca.

Peça dá voz a personagem de Shakespeare para investigar a maldade nas relações humanas

_MG_4881Com o desejo de falar da sociedade contemporânea, cada vez mais afundada em guerras, preconceitos e exacerbação do discurso de ódio, o poeta e ator Bruce de Araujo convidou a atriz e diretora Miwa Yanagizawa para juntos escreverem e dirigirem o monólogo Estudo sobre a maldade. A peça, que estreia neste sábado no Espaço Cultural Sergio Porto (Rua Humaitá, 163 – Rio de Janeiro), dá voz ao vilão Iago, de Otelo, o mouro de Veneza, de William Shakespeare, e investiga o cotidiano da maldade nas relações humanas. A encenação busca inspiração nos escritos de Antonin Artaud sobre o Teatro da Crueldade, onde ele diz: “Não representaremos peças diretas; mas ao redor de temas, fatos ou obras comuns, tentaremos uma encenação direta”. A peça fica em cartaz aos sábados, domingos e segundas, às 19h, até o dia 10 de julho. Bruce de Araujo lançou o livro Leia antes que eu jogue fora (Cândido) e esteve no elenco das duas últimas peças de João Falcão, Ópera do malandro e Gabriela – Um musical.

Selo jovem da Record completa dez anos

image013O selo Galera Record está completando dez anos e, para celebrar o aniversário, vem fazendo uma série de ações. Começou com o lançamento de edições comemorativas de dez de seus maiores clássicos, como O livro das princesas, de Paula Pimenta, Meg Cabot, Patrícia Barboza e Lauren Kate, que chega este mês às livrarias. Os volumes têm capa dura e design de capa e miolo totalmente renovados. Na Bienal do Livro Rio, em agosto, serão anunciados os vencedores do concurso “Sua história nos 10 anos da Galera Record”. O melhor romance/ficção juvenil será publicado em livro impresso e e-book; o segundo e o terceiro, apenas em e-book. A ideia é dar chance para que leitores possam fazer parte do catálogo, ao lado de seus autores favoritos. “Muitos leitores cresceram com a Galera. Alguns começaram a escrever, foram publicados e têm reconhecimento. Outros se arriscaram com publicações independentes. O concurso é uma oportunidade para quem tem aquela história especial guardada na gaveta ou no HD”, conta Ana Lima, editora-executiva do selo. Primeiro selo nacional criado exclusivamente para o público jovem, precursor na publicação de obras com temática LGBTQ para jovens adultos, o Galera acabou dividido em três: Galerinha, para o público infantil; Galera Junior, infantojuvenil, para leitores de 10 a 14 anos; e Galera, para o público acima dos 14, mais focado em títulos jovens-adultos.

Sesc-DF vai premiar crônicas e contos inéditos

logo_sescEstão abertas até o fim de mês as inscrições para os prêmios culturais do Sesc do Distrito Federal. As duas categorias literárias, Prêmio Sesc Contos Machado de Assis e Prêmio Sesc de Crônicas Rubem Braga, são abertas a escritores de todo o país. Cada participante pode inscrever gratuitamente até dois trabalhos inéditos, com tema livre. O resultado sairá no dia 25 de setembro. O vencedor leva R$ 2 mil; o segundo colocado, R$ 1.500; e o terceiro, R$ 1 mil. Confira os editais em https://www.sescdf.com.br/inscricoes-abertas-para-os-premios-culturais-sesc-2017/

Os livros da vida de Ana Paula Maia

iA94pu0Sd3MBHNycwDOGzD3f7l4fCm86eI00Hizix7ka3qFVmZuAIQ397Z1ybtEYUpBBOcoMEaPnIyZ3Escritora e roteirista, Ana Paula Maia está lançando seu sexto romance, Assim na terra como embaixo da terra (Record). Sua literatura traz personagens que vivem realidades que em geral preferimos não enxergar, em narrativas que mostram de forma crua as sutilezas do dia a dia que eles carregam, em abatedouros, carvoarias, crematórios e aterros sanitários. Dessa vez, o cenário é uma colônia penal em vias de desativação. Aqui, ela fala um pouco sobre suas leituras marcantes.

SM – Qual o primeiro livro do qual você tem lembrança?

APM – Foi ainda na infância. A minha coleção de contos infantis. O meu favorito era “A chapeuzinho vermelho”, foi o que eu mais lia. E outra coleção de livros grandes das princesas: Branca de Neve, A Bela adormecida, Cinderella e Rapunzel. E eu tinha uma outra coleção de histórias não famosas e o que mais me marcou foi um conto em que a Morte era um personagem e levava a avó a menina, protagonista da história. Era bem triste.

SM – Que livro mais marcou a sua vida?

APM – Viagem ao centro da terra, de Julio Verne; “Noites brancas”, um conto de Dostoievski; O apanhador no campo de centeio, do J.D. Salinger; e O púcaro búlgaro, de Campos de Carvalho. Admito que há outros livros que me marcaram. Foram muitos. Sem contar os textos teatrais de Nelson Rodrigues.​

SM – O que você está lendo agora?

APM – Agora estou lendo duas escritoras argentinas: Siete casas vacias,  de Samantha Schweblin; e Los peligros de fumar en la cama, de Mariana Enriquez.

image003

Curso de escrita criativa oferece aulas com Daniel Galera, Marcelino Freire e José Luís Peixoto

email_txt_RJ_v2.pngO . TXT, curso intensivo de criação literária coordenado pelos escritores, mestres e doutorandos em Escrita Criativa Reginaldo Pujol Filho, Cristiano Baldi e Rodrigo Rosp em Porto Alegre, terá uma segunda edição no Rio de Janeiro agora em julho, na Escola de Atividades Criativas Perestroika (Rua Martins Ferreira, 12 – Botafogo). É um curso que mescla aulas de criação literária e um percurso de escrita com encontros com grandes nomes da literatura contemporânea. Nesse ano, os convidados serão Daniel Galera, Marcelino Freire e o português José Luís Peixoto. Os encontros ocorrem às terças e quintas-feiras, das 20h às 23h, e aos sábados das 10h às 13h. Outros detalhes sobre o workshop de literatura contemporânea em http://www.perestroika.com.br/cursos/rio-de-janeiro/txt/